Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Do nojo.

por PR, em 20.06.18

O que está a acontecer na fronteira entre o México e os Estados Unidos, com a separação de crianças das suas famílias, numa triagem desumana, mostra que a fantasia de Handmaid's Tale é, talvez, premonitória. 

Os Estados Unidos são hoje um regime racista e xenófobo, que despreza o mero conceito de direitos humanos, estando agora ao lado do Irão, Coreia do Norte e Eritreia como únicos países fora do Conselho da ONU para os Direitos Humanos

A administração Trump é repugnante. E o silêncio conivente das democracias do mundo civilizado é um insulto diário.

Ver, e sentir asco.

Autoria e outros dados (tags, etc)


11 comentários

Imagem de perfil

De Marta Elle a 21.06.2018 às 08:22

Aquilo não faz qualquer sentido, até porque os E.U.A. são um país de imigrantes.
A primeira mulher dele era da Checoslováquia e esta é da Eslovénia. Sendo contra os imigrantes nunca devia ter casado com elas.
Imagem de perfil

De Ventania a 21.06.2018 às 08:49

Não que a política europeia tenha lições a ensinar aos States, mas o asco é incontornável. Perdeu-se a vergonha da abjecção, há uns anos a nojeira era idêntica, mas disfarçada, maquilhada; a opinião pública era igualmente manipulada, mas de outra forma. E perdida esta última camada de pudor, é como dizes, o cenário do Handmaid's Tale não fica assim tão impensável... ☹️
Sem imagem de perfil

De Rui Brigido a 21.06.2018 às 09:10

Viver, morrer e voltar a nascer e nessa altura todos acertaremos conta com o mundo.
Os algozes de agora, serão estas crianças, que provavelmente os vão confrontar com a sua "piedade".
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 21.06.2018 às 09:22

Vergonhoso
Perfil Facebook

De Artur Antunes a 21.06.2018 às 10:03

E as vozes de alguns monstros que se querem intitular de seres humanos?

Uma pessoa comenta algo numa noticia contra o que julga ser monstruoso, e apenas porque há uma relação com o divino intocável Sr. Trump saem logo as feras irracionais em apoio a um procedimento sem um pingo de humanidade, por parte de quem o aprovou e por parte de quem o executa. E assim também por parte de quem o apoia.

Que quem não quer que os filhos sofram as consequências que não cometa uma ilegalidade, etc etc. Arranjam as justificações mais bárbaras e imaginárias. Bichos autênticos com instintos selvagens é o que são. Chimpanzés num programa do National Geografic sem qualquer remorso a matarem-se uns aos outros.

Por mais que argumentemos contra, chamam-nos de tudo: de comunas, de amigos dos terroristas, de politicamente correctos, de corações moles, de amigos do macaco Obama, defensores dos corruptos, que todos os muçulmanos batem nas mulheres e nós apoiamos, que defendemos mexicanos criminosos (pois toda a gente que foi de férias ao México foi morta a tiro, roubada e violada)... eu sei lá mais o que inventam! Não tenho imaginação para tanta perversidade.

Mas agora rio eu.

Agora que o Sr. Trump indica que vai mudar a lei (se é que existia mesmo uma lei) pergunto eu: andem, que dizem agora?

Será que vão dizer agora que separar os miúdos dos pais afinal está errado? Eu sei que hoje em dia ninguém se retracta pois somos todos deuses perfeitos porque sabemos mexer num smartphone e cada um com a mania que está certo e os outros todos errados. Mas para quem defendia a pés juntos esta monstruosidade (sem falar noutras) vão ter a humildade de mudar de opinião e demonstrar a VERDADEIRA CORAGEM de assumir que estavam errados?

Ou vão seguir fielmente uma posição irracional e desumana porque no Facebook ou com os amigos no café já deram uma boas e sádicas gargalhadas de escárnio a gozar com estas crianças?

Andem, COMENTEM AGORA CARAGO!
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 21.06.2018 às 14:15

Mas que raio a administração trump quer fazer com as crianças q estão a ser colocadas nos tais centros de acolhimento??? Tenho duvidas, muitas duvidas e desconfiança deste episódio hediondo, qual é a diferença entre estes monstros e o mestre do horror hitler? O método? E mais uma vez os dirigentes do mundo ficam calados perante tal atrocidade, peço desculpa pela expressão mas isto é tudo uma merda, uns fazem e os outros assobiam pró lado. Apelo aos q nos podem dar voz q façam barulho, imploro-lhes, não permitam q tamanha crueldade caia no esquecimento. Estou horrorizada, estou triste, estou farta de tanta injustiça. Quero lá saber do bruno, quero lá saber do mundial, que se fod%$ tudo isso, eu quero é ver respeito e compaixão. ESTOU DESOLADA ESTOU FURIOSA. deolinda santos
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 21.06.2018 às 19:23

É repugnante mas não é novo. Não me lembro de igual alarido quando isto aconteceu com a administração Obama. Aliás a lei é do tempo do Clinton e ainda passou o Bush lá pelo meio.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 22.06.2018 às 17:50

Aconselho uma leitura atenta. Como jornalista, que presumo que seja, deve ter mais rigor nas análises que faz. É imperativo. Há um código deontológico a cumprir.
Imagem de perfil

De PR a 27.06.2018 às 19:50

Eu desconfio sempre de opiniões que são assinadas por Anónimos. Sobretudo quando apontam o dedo desta maneira. Presume várias coisas ma, e a primeira e menos grave de todas é achar que sou jornalista. Não sou.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 22.06.2018 às 17:50

Aconselho uma leitura atenta. Como jornalista, que presumo que seja, deve ter mais rigor nas análises que faz. É imperativo. Há um código deontológico a cumprir.

http://www.unhcr.org/statistics/unhcrstats/5b27be547/unhcr-global-trends-2017.html
Sem imagem de perfil

De Maria Lopes a 28.06.2018 às 11:10

Gosto de pessoas que se escondem por detrás do anonimato. São capazes de grandes ações, de grandes odes...ao disparate. Se eu o separar da sua escuridão moral, conseguirá prezado anónimo, mostrar algo menos dúbio? Se eu o separar da sua superioridade moral, o que resta de si? Nada. Pode ser que desse nada comece algo válido para o mundo.
Até mesmo para si.
Bem haja por se esconder.
Maria Lopes

Comentar post