Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Been there, done that

por PR, em 22.04.11

Eu já fui um caixa de óculos que compunha hastes partidas com fita cola. Já fui a tantos países que tenho de pensar um bocadinho para os enumerar, sem esquecer nenhum. Já fui a uns jogos olímpicos. Já não tenho pai. Já passei uma noite de natal a ouvir o "Alchemy" dos Dire Straits sem perceber porque é que não tinha Natal. Já cortei dois cordões umbilicais e não me atrapalhei. Já morei no Cacém e parece que foi noutra vida. Eu já estive em coma. Já recusei propostas de trabalho muito bem pagas. Já senti na pele o fazerem-nos mal, sem ser sem querer. Já me arrependi de coisas que disse e deixei por dizer. Já me irritei muito, comigo mesmo, por precipitar-me. Mas também por não agir a tempo. Já fui operado duas vezes, a coisas diferentes. Já chorei de alegria e de tristeza por causa de jogos de futebol. Mas com idades diferentes, em adulto, nessa circunstância, só chorei de alegria. Já mudei a minha vida, várias vezes. Já tive...deixa ver...6 carros, antes do que tenho hoje. Já fiquei muito magoado com pessoas a quem hoje falo sem azedume, embora sem afecto também. Já fiz muita merdinha mas não sou mau tipo. Já me comovi sem ninguém notar, muitas vezes. Já não me faz impressão almoçar sozinho. Já me apeteceu ir ao aeroporto e apanhar o primeiro avião, fosse para onde fosse; mas não fui. Já me arrependi de ter confiado. Já estive quase a tomar decisões que hoje sei que teriam sido um disparate. Já fiz alguns disparates. Já fui feliz muitas, muitas vezes, mesmo. Já me senti muito, muito só, mesmo com gente à minha volta. Já andei de carro horas a fio, sem destino certo. Também já andei centenas de quilómetros só para ir a um determinado restaurante. Já tive dias de inverno na praia, a correr, e mesmo à chuva, que me souberam tão bem como dias de sol. Já marquei alguns golos que gostava de ter em vídeo. Já perdi muitas ilusões. Já saí à noite, já não saio, a não ser para jantar. Já escrevi mais no blogue e já estive várias vezes para acabar com ele. Já mudava de decoração, aqui o estaminé, by the way. Já me senti iluminado pela sabedoria dos meus filhos, sem eles imaginarem. Já me senti muitas vezes injustiçado, e custa-me muito. Já tomei decisões muito difíceis e depois percebi que fiz bem. Já chorei de saudade. Já fiquei sem gasolina na A1. Já gosto de polvo, mas couve flor e brócolos nem vê-los. Já misturei Nestum e Cerelac ou Pensal. Sim. Já me surpreendi com coisas que cozinhei, tão boas que ficaram. Já contei histórias para uma fotografia. Já comecei a escrever um livro várias vezes e tenho portanto vários livros não acabados. Já acreditei que devia editar coisas que escrevo. Hoje duvido. Já quase adormeci ao volante. Já fui razoável a matemática, depois não sei o que aconteceu. Já fiquei horas à espera de um telefonema ou mensagem. Já magoei pessoas me eram muito, muito queridas. Já tive a alma em farrapos. Já fui ao cinema sozinho. Já me arrependi de ter ido a determinados concertos. Já sonhei que artistas que conheço cantavam palavras minhas. Já gravei um anúncio. Já fiz voluntariado. Já tive um cão. Já fui da Parede ao Guincho de bicicleta e voltei, e na altura não custou assim tanto. Já competi em representação do Sporting e até ganhei uma medalha! (Calma, a piscina era do Sporting, não havia outra hipótese :-)

Já joguei à bola com o Mozer, o Nuno Gomes, o João Pinto, o Shéu, o Veloso, o Quaresma. Já joguei ténis com o Pete Sampras, e foi no Colombo! Já toquei em Nélson Mandela (na ilusão de poder falar com ele. Um segurança encarregou-se de me afastar, decidido). Já estive num país em guerra. Já fui em pijama para o hospital. Já votei em branco. Já cheguei atrasado a uma reunião porque fiquei a ver chover. Já fui à tropa. Já trabalhei no Braz & Braz. Já distribui jornais uma vez. Já fui director de jornal por um dia. E modelo fotográfico :-) Já não acredito em políticos. Já ouvi alguns discos milhares de vezes e volto sempre a alguns deles. Já passei horas em livrarias, só folhear, aqui e ali. Já fui um leitor mais regular de blogues. Já trabalhei de borla, por não ter apresentado um recibo dentro do prazo. Já fui a África uma vez, mas nunca fui à Ásia. Já sonhei que voava. 

Já parava.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


99 comentários

Imagem de perfil

De K a 22.04.2011 às 10:56

Compreendo que, por vezes, tenhas vontade de deixar de escrever aqui no estaminé. Quando esse dia vier (o do fim definitivo), eu sou das que vou ter imensas saudades.
Adoro o que escreves e, uma vez mais, não posso deixar de o dizer. A simplicidade e o sentimento à flor da pele, adoro, adoro.
Só me apetece dizer-te: não pares! Não pares de escrever no blog (nem que seja só quando o rei faz anos), não pares de fazer tudo e nada e coisa nenhuma, não deixes de ser honesto contigo...
Viver é tão bom!
Sem imagem de perfil

De Eduardo Soares a 22.04.2011 às 10:57

HEHE... eu tambem já fui à tropa... contigo!!!

Fora de brincadeiras... olha que ainda há muito mais para fazer!
Sem imagem de perfil

De Mariana a 22.04.2011 às 10:57

Já sonhei que um dia conheci-a um Homem como o Pedro.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 23.09.2011 às 13:27

Conhecia*
Sem imagem de perfil

De Elora a 22.04.2011 às 10:58

Gosto de ti.
Sem imagem de perfil

De Teresa a 22.04.2011 às 11:09

E ainda tens as t-shirts? :))
Imagem de perfil

De Jonasnuts a 22.04.2011 às 11:27

Vou contribuir para que possas acrescentar mais uma coisa à lista. Tomei nota da vontade de mudança de look do estaminé :)

Isto parece um daqueles posts de balanço anual, que fazes às vezes, só com palavras intercaladas de pontos finais. Mas desta vez, em vez de ser anual, é de vida.

Um balanço de vida com a tua idade?

Vais comprar um porsche? :)

Ainda é cedo, rapaz, ainda é cedo.
Imagem de perfil

De joaoferraz a 22.04.2011 às 11:37

É estranho ler este teu post. Sente-se nostalgia, como se sente realização. Sente-se alguém que já fez muito e que muito tem ainda por fazer.
Todos nós, pelo menos de vez em quando nos sentimos assim. O que já fizemos, o que temos para fazer, o que valemos, o que poderíamos ser. A única coisa que me faz mal é mesmo parar.
Intervalar é sempre necessário. Conhecer os nossos limites. Todos nós temos os nossos limites. Parar tolhe-nos os movimentos, o raciocínio, a vontade de ver, descobrir, lutar por mais e melhor.

P.S.: Lembram-se da música dos Da Vinci "Já fui ao Brasil, Praia e Macau...", um dia ainda irei podê-la sentir minha. Sim, já conheço alguma coisa, mas há tanto que gostaria de conhecer...
Sem imagem de perfil

De Beta a 22.04.2011 às 11:49

Não pares Pedro!!!
Continua assim por aí adiante.
Sem imagem de perfil

De Joao a 22.04.2011 às 12:13

:-D
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 22.04.2011 às 12:14

:)

Muito interessante senão tivesse parado nem imagino o que teria para dizer ainda

Comentar post


Pág. 1/10