Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




A Injunção.

por PR, em 03.03.09

É um palavrão que entrou na minha vida há dias, com uma simpática cartita da PT Comunicações.

Vivi numa casa, da qual saí em 2005. E tinha lá um telefone. Mudei de casa e nunca mais me lembrei de dar baixa do telefone. O que é que sucede?  Sucede isto:

 

INJUNÇÃO Nº349674/08.2YIPRT

 

Querem 128, 56 €. Injunção é uma palavra que impõe respeito.

Não é simpático da parte deles? Eu acho. Tão atencioso. Obrigado.

Estava a ver que se esqueciam!

Autoria e outros dados (tags, etc)


10 comentários

Sem imagem de perfil

De Ana Ribeiro a 03.03.2009 às 10:16

Esses Sr.s são um espectáculo... nunca se esquecem. Tarda mas não falha!
Sem imagem de perfil

De aAmarPerdidamente a 03.03.2009 às 10:17

Olha, eles ao meu mais que tudo pediam 650 euros. Encaminhei o caso para a minha advogada e ela resolveu o caso com a outra parte. Reduziram o valor para pouco mais de 120 euros e a pagar em 2 vezes. Hehehhehe
Imagem de perfil

De joao moreira de sá a 03.03.2009 às 11:24

Já me aconteceu semelhante, valor menor, e alegando que se ao fim de X meses sem pagamento a PT "corta" o telefone, nestes casos em que se verifica uma ausência de comunicações feitas a partir desse número (e eventualmente não resposta a correspondência), o procedimento da PT deveria ser cortar o serviço, logo nunca poderia atingir estes valores.
Olha que eu recusei-me a pagar pouco mais de 10 euros (não chegava a 11, mesmo :) e entre ir para tribunal e depois de cópias para a DECO e ANACOM, nunca me disseram "perdoado" mas já lá vão 3 anos e nunca mais me chatearam.

A parte que dá para rir ou chorar é que ao mesmo tempo que isto acontecia, por um outro motivo qualquer (nunca cheguei a perceber) a mesma PT estava a enviar-me carta a infromar de um crédito a meu favor de 16€ !!!
Ou seja, queriam levar-me a tribunal por 10, devolver-me 16 e gastaram outro tanto em correios :)

Quantos milhões isto valerá em p´remios de gestão?

Imagem de perfil

De Caminho a 03.03.2009 às 11:56

E há milhares delas... é uma das coisas que entope os tribunais
Sem imagem de perfil

De Isabel a 03.03.2009 às 15:54

Todas as empresas são assim... Da PT não me posso queixar mas da antiga TELE2 tenha muita experiência desse tipo de cartas... Tinha na altura uma associação juvenil e decidimos colocar internet na sede e contratamos a TELE2 que me obrigou a faltar ao trabalho porque ia lá fazer a instalação de um pacote que já lá tinha deixado... Pois eu faltei e eles não apareceram, no entanto a carta para pagar veio todos os meses, e nós não pagamos. Depois a TELE2 passou para o domínio da CLIX e passou esta última a enviar as cartas para se proceder ao pagamento, e nós sempre sem pagar (afinal de contas como é que eu ia pagar por um serviço que nem foi instalado?). depois o meu irmão tomou conta da situação (era o presidente da associação) e nunca mais recebemos cartas. Teve longas conversas com uma advogada que o tentava ameaçar com tribunal até que percebeu que o erro não era nosso... Enfim os nossos serviços não são propriamente do melhor do nosso país... (suspiro) :)
Sem imagem de perfil

De Cristiano Moreira a 03.03.2009 às 23:51

Querias milagres com a PT?! LoL
E logo desde 2005... Upa upa!! =)
Sem imagem de perfil

De Pedro Indy a 05.03.2009 às 10:42

Injunção... deve ser uma forma mais simpática de escrever "Extorsão". Deve ser isso.
Sem imagem de perfil

De Zexorcista a 08.03.2009 às 05:08

Caro Pedro Ribeiro, tenho uma dívida de gratidão para consigo porque ouço o seu programa na ida para o trabalho ás segundas feiras de manhã e faz milagres. Ok, é exagero. Pelo menos consigo não dizer 4 palavrões em cada 5 palavras. Já não é mau!

E se lhe dissesse que não era obrigado a pagar o valor da injunção?! Pois é... digo mesmo. O crédito estava prescrito, o direito de acção tinha caducado. Isto porque, com a entrada em vigor da Lei 12/2008, que veio alterar a Lei dos Serviços Públicos Essenciais, as Telecomunicações passaram a ser considerados serviços públicos essenciais sendo-lhes aplicado o prazo de prescrição de 6 meses (que se contam da data da prestação do serviço). No caso, dada a alteração legal, seriam contados desde a data da entrada em vigor da lei (Junho de 2008). Pior ainda, a lei em causa veio esclarecer uma dúvida legal antiga que, muito sumariamente, consistia em saber quanto tempo tinha a empresa para cobrar o crédito (pagamento voluntário ou através do Tribunal). Pois bem, desde então o prazo passou a ser de (apenas 6 meses). Neste caso, este prazo contava-se desde a data da entrada em vigor da norma (Junho de 2008). Tendo em conta que estamos em Março (e mesmo que a injunção tivesse entrada em juízo em Fevereiro), o crédito estava prescrito e o direito de acção da empresa tinha caducado.

Em suma, e apenas o que interessa: NÂO ERA OBRIGADO A PAGAR COISA NENHUMA!!!

Não paga a consulta... ;)

Um abraço e continue (não a pagar dívidas que podia não pagar mas a animar as manhãs da malta!)
Sem imagem de perfil

De papaupa a 26.03.2009 às 21:19

eu so digo uma coisa, paguem as coisas, cambada de gatunos, se se responsabilizam com alguma coisa, o minimo que podem fazer é pagar, paguem seus gatunos!!!
Sem imagem de perfil

De joao a 16.04.2009 às 21:46

Estes tipos da telecomunicações são piores do que os ciganos e a máfia de leste....O processo já está a imenso tempo prescrito...Eles mandam essas cartas aos milhares para os clientes para ver se apanham patos que pagam...
Vive-se num paraíso da burlisse neste País com ineficácia das entidades reguladoras. Apresente reclamação no livro de reclamações ( mais uma para juntar ao monte).Cumps.

Comentar post