Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




"Sou músico. Toco voz."

por PR, em 30.04.17

Frase mítica do homem que deu voz ao "Depois do Adeus" e muito mais.

Está aí um disco de surpreendentes novas versões, em dueto, de canções do grande Paulo de Carvalho. A começar por essa senha de Abril, cantada, e tão bem, com a Marisa Liz.

A "Lisboa, menina e moça", nas vozes de Paulo de Carvalho (que foi quem compôs a música)  e Carlos do Carmo. As abordagens bem conseguidas a outros clássicos, com Camané nos "Putos", Rui Veloso em "10 anos", o surpreendente Diogo Piçarra à altura de "Flor sem tempo", Raquel Tavares e o "Homem das Castanhas", o eterno "Olá, como vais?" com o eterno Tozé Brito, o dueto com o filho, Agir..."Os meninos de Huambo", com António Zambujo, o dueto com o igualmente lendário José Cid em "Nini dos meus 15 anos" ...há muito por onde escolher, num disco que nos devolve canções que ouvia no rádio, em miúdo, em estações escolhidas pela minha mãe e a minha avó, normalmente a Renascença.

Paulo de Carvalho, juntamente com Tozé Brito, Carlos Paião e José Cid, formam parte de um restrito clube de vozes a cantar canções nesse rádio da minha infância, e que ficaram para sempre. O "Gostava de vos ver aqui", agora com a introdução do maravilhoso Nuno Markl, e Ivan Lins com Paulo de Carvalho, ganha uma frescura e uma leveza irresistíveis. 

Estas canções de Paulo de Carvalho, revisitadas em modo século XXI são um bálsamo surpreendente. Não violam a herança, fazem-lhe justiça. Das da música ligeira às aproximações ao fado, mas com casaco de cabedal e brinco, numa originalidade que é hoje extremada pelo filho Agir. Atitude, personalidade forte, carácter, tudo ali está, como antes, como sempre, na voz de Paulo de Carvalho, ao lado de tanta gente tão diferente.

A ouvir com tempo, muitas vezes. 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)