Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




O Pai está aqui.

por PR, em 22.10.15

Quando a Maria, a meio de uma música qualquer, mete uma palavra, "maçã", por exemplo, e desata a rir, e aquilo é a melhor piada de sempre. 

E funciona vezes sem conta. "Vamos ao que interessa, derrotar...maçã!" (ver BSO de Mulan, da Disney).

Quando ela abraça, assim do nada, abraço apertado porque sentiu vontade. Tão bom. Quando diz "Pai queres brincar comigo?" e não espera resposta alguma, avança logo para brincar. Às escondidas, a fazer um puzzle, a contar uma história, a brincar com as comidas, a brincar com as princesas. Ou a fazer magia. Ou jogar o futebol. Ou outra coisa qualquer. Aquela gargalhada, aquela teimosia tão dela, aquele enrolar o cabelo com os dedos quando tem sono ("não faças isso, que qualquer dia não tens cabelo aí!" Está bem, está).

"Ò Pai, as pessoas não gostam de dormir, as pessoas gostam é de brincar!"

E ela gosta. Olhá-la é amá-la, é amar a esperança no futuro, é perceber como vale sempre a pena lutar pela felicidade dela. Noutro dia, aconteceu um daqueles dias cinzentos, dos tais "tristes como um pátio à chuva". E ela deu-me colo, a mim, o Pai. Nunca vou esquecer o olhar dela: "Pai não estejas triste." Assim, do nada, as palavrinhas todas.

Maria, 3 anos de gente, curiosidade desperta, o seu mundo interior encantador. Às vezes fica só a cismar, fechada nela mesma, no seu universo, e é delicioso vê-la brincar, imaginar histórias, quadros de vidinhas que ela gere com as suas mãozinhas e o seu instinto mandão, mas ao mesmo tempo drama queen. 

"Ò Pai, os manos?" "O Kiko e o Miguel estão lá?" "Pai, vamos para Cascais?" "Pai, a Tia?

Há pequenas coisas nos filhos, pequenos instantes, pormenores, tiques deles, que são aquilo de que nos lembramos, quando estamos longe deles. Explode uma saudade, parece que não os vemos há meses. A Maria é uma descoberta permanente, a cada semana traz novas aventuras para contar, mais palavras novas que aparecem no seu discurso e que desarmam, tão crescida. Novas músicas, novos encantamentos - "Pai começou o Outono!" ou "Pai eu hoje fui ao ballet" e dança, dança, dança, toda vaidosa. A cada dia, novas certezas - "Pai, eu não gosto de pão!". E aquela urgência de fazer as coisas sozinha. "Eu sei !"

Tu sabes é fazer o Pai muito feliz, só de olhar para ti. E de estar assim, agora aqui,só a pensar em ti. A pensar de todas as vezes que te estendo a mão para trás, no carro, como com os teus irmãos, e tu, na tua cadeirinha, agarras a minha mão e apertas. É quando te digo, em silêncio:

- O Pai está aqui.

E tu  estás a dizer: "Eu também, Pai. Está tudo bem".

Autoria e outros dados (tags, etc)


2 comentários

Sem imagem de perfil

De Elisa a 22.10.2015 às 17:59

[Suspiro]... :)
Aproveite. Não é sobre o destino, é sobre a caminhada...
Little Mary a crescer.
xxx, E
Imagem de perfil

De K a 27.10.2015 às 11:22

Pedro, repito, se existissem mais pais como tu... o mundo seria bem melhor!
Obrigada por mais esta partilha.
E continua a ser esse pai fantástico que tanto orgulho tem dos filhos (e eles de ti, não duvido!).

Comentar post