Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Don't worry, be happy.

por PR, em 26.05.17

Daí que, quem decide não ganhe prémios de popularidade. É assim, e , às vezes, há decisões cujas razões profundas ficam com quem as toma, e com quem está directamente relacionado com essas decisões. É difícil, e isso também se aprende, ganhar coragem para tomar decisões duras. Mas se se tiver sempre a noção do que é o nosso trabalho, qual é a nossa função e o que é, a cada momento, o interesse superior, da nossa marca, da nossa equipa, daquilo que, no fundo, é preciso fazer, consegue-se o mais importante: mesmo contra todo o ruído que possa existir, fica a nossa consciência tranquila. E, com o passar do tempo, talvez tudo se perceba melhor. É nossa responsabilidade e não podemos fugir-lhe. 

Quando alguém é brilhante no que faz, mas viola princípios básicos de ética, respeito pelos colegas e trai a nossa confiança? Que fazer? 

Por outro lado, quando alguém é ultra esforçado, empenhado, quer aprender, trabalha, trabalha, trabalha...mas falta-lhe o talento, a técnica, a experiência e acaba por não estar à altura do que se precisa? Que fazer?

Vem tudo isto a propósito de um prémio que ganhei esta semana. Pessoas que não conheço decidiram que sou um chefe feliz. Obrigado pela distinção, é um calorzinho, depois de um ano especialmente duro, em que aguentei em silêncio tanto ruído, algum insulto, por causa de uma decisão que, basicamente, passou por aceitar a decisão tomada por outra pessoa, e aceitar que nem sempre tudo corre bem, às vezes as pessoas desiludem-se, e é preciso aprender, seguir em frente, proteger a equipa, a marca, os princípios em que se acredita e tudo faz parte. No final, toda a gente happy. Pronto.

Obrigado.

 

happy boss.jpg

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


11 comentários

Sem imagem de perfil

De EscritaDela a 26.06.2017 às 17:25

Olá Pedro!
Antes de mais parabéns pelo prémio :)
Vi num dos comentários, que a rádio comercial tinha perdido a liderança com a saída da Vanda, eu não sei se é verdade e desconfio mesmo que seja.
Há uns tempos fiz um comentário onde dizia que a Luísa não se enquadrava na equipa e que a dinâmica que existia deixou de existir e tinha muita pena porque as manhãs já não eram a mesma coisa.
Pois posso dizer, que passado um tempo, consigo reconsiderar a minha opinião e voltar um pouco atrás. O Pedro como chefe da equipa com certeza sabia o que estava a fazer. Dou-lhe os meus parabéns. Hoje, apesar de achar que ainda há espaço para melhorar (como sempre aliás), já acho que foi uma boa escolha, já percebo porquê e já gosto. Simples assim.
Por isso uma vez mais os meus parabéns.

Comentar post


Pág. 2/2