Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Como assim, fracasso?

por PR, em 19.08.16

A ligeireza indignada que leio em tanto sitio sobre o "fracasso" olímpico tuga, impressiona-me.

Vamos lá ver...A esmagadora maioria dos portugueses não sabe, nem quer saber, do Badminton, da Canoagem, do Voleibol. Não tem uma pista, vaga que seja, sobre o que é o Taekwondo, as regras do Judo, como é uma prova de Vela ou o que é a Ginástica de alta competição. Não raras vezes, olha com ignorante condescendência para quem pratica outro desporto qualquer sem ser futebol. Não faz ideia sobre quem são os melhores do mundo em qualquer dos outros desportos. Ou quem são os campeões nacionais, europeus ou mundiais. Não interessa. Não tem ideia nenhuma sobre quem são os atletas do Ténis de Mesa ou do Triatlo. "Não ganham medalhas, não prestam para nada".

De quatro em quatro anos, "é uma vergonha", os atletas são uns "chulos", que vão fazer "turismo à nossa conta".

Impressiona-me esta coisa fácil que teclar indignações e razões, sem saber do que se fala: quem são os atletas, o seu percurso, as condições de treino, a falta de uma política integrada de alta competição, os sacrifícios feitos por grande parte destes atletas para poderem competir, num país que passa quatro anos a ignorar aqueles a quem "exige" depois medalhas, de cada vez que há Olimpíadas.

Toda a gente gosta de ganhar, para que depois cada um possa reclamar como sua cada vitória.Não gosta de desporto, nem sequer de futebol. Gosta que o seu clube ganhe. Daí a clubite também manchar muitas das análises que são feitas à prestação dos atletas, num chocante exemplo de falta de capacidade critica para lá da boçalidade fácil.

Eu acho que há com certeza matéria para análise, e para critica, nesta participação portuguesa nos Jogos, claro que há. Mas esta "justiça popular de caixas de comentários e redes sociais" faz-me mesmo impressão. Olhe-se para o desporto português e perceba-se a sua realidade, fora dos Jogos Olímpicos. Que recursos temos e não temos. Que competências existem ou não. O que há para aprender e ensinar em cada área. Como se pode melhorar o treino e a competição. Como se pode melhorar tanto na formação e orientação de novas gerações para outros desportos, havendo condições para os praticar,  E, mesmo assim, o básico de cada prova desportiva: a vitória nunca é certa, nem para os melhores. Nada garante medalhas. Isto é verdade para um Rui Bragança ou para uma Marta Onofre como para um Bolt ou um Phelps.

E estes não imaginam, não podem imaginar, o que seria a sua vida se tivessem de treinar e competir em Portugal. 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


21 comentários

Imagem de perfil

De HF a 19.08.2016 às 09:41

Olá Pedro.
Totalmente de acordo.Até no europeu em França isso se viu a seleção só jogava bem para os sportinguistas se tivesse lá os seus 4 de meio campo.Os benfiquistas não percebiam porque Renato não jogava.Os portistas criticavam e escolhiam o Danilo para ser o polvo de meio campo.É assim Portugal.Ninguem sabe que na maioria são atletas semi-amadores e que americanos, chineses, alemães trabalham anos e anos para ganharem uma medalha.

P.S grande resultado o do miudo no triatlo 5º é fantástico
Abraço
Imagem de perfil

De Ssssstress a 20.08.2016 às 09:58

Concordo completamente com o seu texto. Há muita gente que olha mas não vê.
Porque para bem apreciar qq coisa não basta "prová-la"!
É preciso saber fazê-la ou, pelo menos, saber como se faz!
Cumprimentos
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 20.08.2016 às 12:56

Por mais condições que tenhamos temos sempre melhores condições do que Quénia e Etiópia e mesmo assim , nas piores infraestruturas que tem , nas piores condições monetárias conseguem ter melhores resultados do que Portugal naquilo que sabem fazer melhor do que é atletismo.A cultura do coitadinho e falta de ambição do atletismos entre outros desportos ajuda inconscientemente a viver nas sombras do futebol.Eu não culpo os atletas , mas culpo quem está mais acima.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 20.08.2016 às 20:38

esses atletas do Quénia e da Etiópia vivem e treinam na Europa ou nos Estados Unidos e têm condições e facilidades muito superiores para treinar
Sem imagem de perfil

De Rui Silva a 19.10.2016 às 10:06

Sabem lá eles sobre esses atletas do Quénia.... Ainda há uns dias decorreu no Qatar o campeonato do MUNDO de ciclismo de estrada, com a presença do Nelson Oliveira no Contra-relógio e de 3 portugueses na prova principal. Alguém viu sequer?
"Mas não dão na tv!". A RTP2 transmitiu na integra todas as 4 provas do mundial (masculino e feminino), só não viu quem não quis saber, que é o caso de toda a gente! Se tivessem visto, tinham notado por exemplo que o Nelson Oliveira ficou em 20º! E é esta a nossa realidade! Por isso só podemos ficar incrivelmente contentes quando este mesmo Nélson chega aos Jogos e saca um 9º lugar!
Sem imagem de perfil

De josé a 20.08.2016 às 13:09

Só faltou dizer que um 4º lugar, ou um 5º lugar, ou um 6º lugar, ou ..., é mesmo uma MEDALHA, com letras grandes. Infelizmente, não se valorizam essas medalhas, mas ficar nesses lugares a nível mundial, já é um feito heróico, só ao alcance de alguns. Parabéns a todos os que se atrevem a competir entre os melhores. Parabéns.
Sem imagem de perfil

De Meliana a 20.08.2016 às 13:28

Concordo absolutamente. E mais, acho que a nossa prestação tem sido fenomenal. Apesar de falta de apoios e de condições em 15 dias de JO temos tido um atleta português numa final praticamente todos os dias. Já para não falar do facto de termos atletas em modalidades nas quais eu, há algum tempo atrás, nem imaginava que houvesse um português a competir a este nível.
Sem imagem de perfil

De Makiavel a 20.08.2016 às 14:47

Há uns anos atrás, tirando as disciplinas de fundo do atletismo, todos os outros representantes iam marcar presença e tentar melhorar as marcas pessoais.
Hoje, particularmente nestas Olimpíadas, houve presença portuguesa e luta pelas medalhas em modalidades tão variadas como judo, ténis-de-mesa, canoagem, hipismo, salto em comprimento, triatlo (peço desculpa se me esqueço de alguma modalidade). Se isto é fracasso...
Sem imagem de perfil

De Mario a 20.08.2016 às 15:26

Apoiado! A análise mais esclarecida que li sobre o tema. Infelizmente, salvo honrosas excepções, são basicamente um vazadouro de frustrações e chico-espertice
Pessoalmente associo-me aos que valorizam os nossos atletas
Força pessoal
Sem imagem de perfil

De MG a 20.08.2016 às 15:33

Fale por si..
Sem imagem de perfil

De J a 20.08.2016 às 16:06

Não li as críticas que foram feitas, portanto não as comento.
Mas não entendo que os atletas estejam imunes a críticas.
Os Jogos Olímpicos são a maior COMPETIÇÃO desportiva do planeta e não a maior exibição de desporto do planeta. Para isso há os saraus na ginástica, os jogos amigáveis, etc.
As federações assinaram contratos-programa e os atletas receberam bolsas para preparação dos Jogos. O argumento da "falta de apoio" não pode ser aceite cegamente...
É óbvio que não se espera que, por exemplo, o nosso lançador de peso compita com os demais. Ou que os nossos jogadores de badminton sejam campeões.
Mas espera-se que o planeamento da época leve os atletas aos Jogos no seu topo de forma. Que façam, pelo menos, as melhores marcas pessoais do ano. Preferencialmente, que batam os seus recordes pessoais.
Não se espera que uma maratonista desista ao fim de 7km de prova (especialmente por estar lesionada logo à partida e ter tirado o lugar a outra possível representante...), ou que o n.º 3 do ranking mundial perca facilmente com o n.º 20 do mesmo ranking. And so on...
Concluindo, muitos atletas estiveram muito bem, mas alguns estiveram muito abaixo do que poderiam e deveriam ter feito. Porquê? A falta de apoios apenas explica, quanto a mim, uma pequena parte. A mentalidade com que alguns atletas encararam a competição explica uma grande parte.
Não basta dizer que se vai fazer o melhor possível. Há que ter comportamentos éticos que o permitam...
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 20.08.2016 às 17:18

Estar entre os melhores, já é um feito enorme! As medalhas podem aparecer ou não; um erro.. uma distração... uma falta de concentração... um simples percalço... um fator externo que abale a estratégia pensada...
Pelo que leio dos próprios atletas, todos eles sentem a sensação que cumpriram com o dever; não estão desanimados, e já apontam baterias para 2020; quando assim é...!!!

Comentar post


Pág. 1/2