Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Do Amor.

por PR, em 10.01.17

A voz de Maria Barroso. As palavras de Isabel e João Soares, hoje.
Na vida, nada é mais importante que o Amor.
É só o que fica, sempre.
Viver é fixe. Saibamos merecê-lo, a cada dia.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Soares

por PR, em 09.01.17

Desaparece o português mais influente da política portuguesa da segunda metade do século vinte. Nunca votei Soares, mas reconheço-lhe um indiscutível mérito: a luta por um Portugal pluralista, não subordinado a qualquer pensamento único, um viver em Liberdade. 

Vitima deste tempo em que se assassina o carácter e a memória através de mentiras propagadas em qualquer rede social, e assumidas como verdade sem discussão nem dúvida nem perguntas; Soares acabaria por sorrir ao perceber estes efeitos colaterais e saudáveis da Liberdade pela qual lutou. Nunca votei nele, porque dele discordei muito, na forma e no conteúdo, tantas vezes. Mas admiro-o profundamente, e sou-lhe grato, enquanto cidadão livre deste país. Soares foi, muitas vezes, fixe. 

Foi também humano e tão português nos seus exageros, nos defeitos, na vaidade indomável, nos momentos de sobranceria "Ò sr Guarda, desapareça!", e na maneira como personificou o pior do PS, tantas vezes.

Mas foi corajoso. Foi um lutador, que aceitou com inabalável espírito democrático, ganhar e perder eleições. Foi ele que evitou que o país caísse numa ditadura depois de ter derrubado outra. Esteve no processo de adesão à Europa, teve mundo, visão histórica, teve sentido de humor, foi um português maior.

Pela minha parte,obrigado.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Last Christmas.

por PR, em 26.12.16

A fechar um feliz dia de Natal, uma chocante notícia que me deixa profundamente abalado. A morte de George Michael, apenas com 53 anos de idade, é um golpe profundo. Sempre fui fã. George Michael foi um talento extraordinário como compositor, foi um grande cantor, fez alguns dos mais brilhantes discos de sempre da pop e algumas das mais brilhantes canções: do guilty pleasure de Careless Whisper e Last Christmas, a discos tão profundos, corajosos e inteligentes como Listen Without Prejudice ou Older. 

A dada altura pareceu sempre que existia uma sombra a pairar por cima dos seus dias, com problemas com drogas e um estilo de vida que parecia ser uma fuga para a frente. Mas foi brilhante, como artista. Brilhante.

Pop, funk, soul, tudo ao mais alto nível, num só artista com uma voz incrível: Father Figure, I Want Your Sex, Older, Jesus to a Child, Last Christmas, Freedom 90, Cowboys & Angels, Praying for time, Kissing a fool, Fast Love, Heal the Pain, Outside, Wake me up before you go-go, One more Try, Faith e tantas outras...são obras primas da pop.

O seu MTV Unplugged é brilhante, e tornou-se uma lenda. Um artista daqueles que sempre esteve presente na minha vida, como musica de fundo. Agora, este silêncio. 

Desaparece um dos grandes. Tenho mesmo pena de nunca ter visto um concerto dele ao vivo. 

 

 

Que ano para a música: Prince, Bowie, Cohen, e agora George Michael. O tempo provará que George Michael era mais, muito mais, do que as noticias dos tablóides que o identificaram tantas vezes como alvo fácil. 

Um artista enorme, uma enorme perda para a música. Estará sempre na minha playlist.

Morrer no dia de Natal é só mais uma daquelas ironias cortantes e perturbadoras.

 

15727151_10211962204069435_8560826979345217071_n.j

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Veterinário de Província.

por PR, em 21.12.16

 

A nitidez da passagem do tempo, o ritmo da vida no campo, o olhar nítido e carregado de vida vivida.

Olhar, com tempo.

 

FOTOBOX 24 from fotoboxTV on Vimeo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Por Aleppo.

por PR, em 19.12.16

 

Entre a hipocrisia sádica da política internacional, a rede de interesses mais ou menos obscuros e o total desprezo pela vida humana, este drama continua, perante uma indiferença de boa parte do mundo. Nomeadamente de quem podia fazer efectivamente alguma coisa decisiva para evitar a continuação deste massacre.Perante esta coligação da Indiferença, há quem resista.

Quarta-feira, em Lisboa, no capitólio, um grupo de artistas junta-se para um espectáculo solidário, a favor desse exercito de corajosos que é a associação Médicos Sem Fronteiras. Se puder, envolva-se. 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

"Finesse"

por PR, em 16.12.16

Há aqui Stevie Wonder. Michael Jackson. Chic. Kool & The Gang. Há laivos de boysband dos anos 90, até há uma balada produzida por Babyface. Há Barry White. E Prince. Um cocktail explosivo de funk, um groove que faz com que, de repente, pareça existir esperança para a pop que virá. Bruno Mars é um caso único de um performer capaz de fazer música muito boa e ser unânime, mesmo entre aqueles que não apreciam: têm de respeitar o trabalho deste pequeno geniozinho. As letras são malandras e espertas, têm dentro todo o mundo em que nos movemos, as redes sociais, por exemplo, invocadas muitas vezes.Há sexyness por todas as canções, e um ambiente descomprometido de festa que transformam estes disco em algo muito especial.

Grande malhas, para ver ao vivo, um dia destes. Bruno Mars, um pequenino em grande, num dos melhores discos que a pop nos deu nos últimos anos. Vai ficar.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

"I'm still standing"

por PR, em 14.12.16

O discurso de ontem de Madonna, a receber a distinção de Mulher do Ano, da revista Billboard, é dos discursos mais poderosos de que me lembro.

E ela tem razão em tanta coisa, que uma pessoa ouve aquilo e pensa: caramba. Lá onde estiver, David Bowie há-de sorrir, orgulhoso.

Grande mulher. 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

IMG_4349.JPG

 

 

É um blogue que leio há muito tempo, e agora é livro. Alguns dos melhores textos que já li sobre gostar de alguém estão lá. É de ler, sim.

E sim, também é, no fundo, aquilo que este Dias Úteis podia ser um dia, mas nunca mais meto mãos à obra. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Bebé Carminho. A caminho.

por PR, em 15.11.16

Apareceste como um rumor de águas a correr, ao fundo, na floresta. Aquela qualquer coisa determinante, que faz o traço fundo entre um antes e um depois, e que se adivinha assim, decisiva e única, mesmo enquanto é só uma ideia no ar, uma promessa sem prazo, uma mera possibilidade, um se calhar que já sabemos que vai ganhar forma, e sabemos só porque sim, desde o princípio.

Apareceste, anunciada numa noite de verão, de surpresa como um aguaceiro bom, só para assentar a poeira dos dias secos e fazer campanha antecipada, com vitória já certa, para uma causa que vai conhecer a luz, o ar, o cheiro e o toque da Primavera que há-de vir.

Tiveste outros nomes possíveis, mas nenhum foi logo o teu como este, de que a mãe se lembrou e que o pai não teve de aceitar ou ser convencido, porque, assim que me soou, foi certo e definitivo. Carminho.

A mãe e o pai andam a contar-te semanas, vinte e uma agora, vinte e duas este sábado, até chegar a Primavera.

Agora há umas apps que vão detalhado a tua viagem e a nossa, a cada semana, e nós, todos os sábados de manhã, olhamos maravilhados para um novo capítulo. A mãe e o pai têm rituais assim. Para tanta coisa, temos os nosso rituais!

Até quando se chateiam, fica sabendo. Sim, às vezes a mãe e o pai zangam-se um com o outro, ficam uns dias mesmo zangados, sabes? Mas, e isto é um segredo que o pai te está já a contar, guarda-o com um sorriso cúmplice: mesmo quando o pai e a mãe estão zangados, ás vezes damos as mãos à noite. E um beijinho de manhã ao sair de casa. E festinhas, quando um dos dois finge que está a dormir. Como diz uma música:

 

"Deixa-o dormir, o nosso amor. um bocadinho mais

Deixa-o dormir, que viveu dias tão brutais"

 

Chama-se cuidar do outro. Cuidar em tempos de zanga é das coisas mais difíceis de conquistar na vida, e é sinal de que é mesmo para valer, ficas a saber. É uma teoria minha. Como diz outra música:

 

"'Tá rindo, é?"

 

Um dia vais sentir que deves cuidar de quem gostas e de quem gosta de ti. São pessoas raras na nossa vida, há que saber guardá-las bem. Nunca deixes que um dia mau te faça baixar as expectativas. Só te zangas com quem tens expectativas ao nível das grandes, das maiores, daquelas que importam. Com quem não é importante para ti, não te zangas, queres lá saber. Pensa nisso quando te chateares com os teus irmãos, que, asseguro-te, irá acontecer muitas vezes! Estás a franzir a testa? É verdade! 

E não vamos falar já de como vai ser quando tu te apaixonares! Temos tempo. Temos todo o tempo do mundo.

Agora estás aí, na barriga da mãe, protegida pelo amor e pelo creme anti-estrias. O pai anda ansioso para te sentir mexer. Para a mãe é mais simples: ela sente-te, as duas são uma, de certa maneira. A mãe depois explica-te.

A mãe está a dizer ao pai que andas a mexer-te muito! Falta pouco para te poder sentir, pela primeira vez. As mãos do pai, bem prontas para ser o teu primeiro escudo protector, para sempre. Há coisas que um pai quer sempre muito, por antecipação, e olha para elas, à distância do tempo que ainda falta, com tanta vontade, tanta! Esticar o dedo para apertares com a tua mãozinha. Passar a mão no teu frágil cabelo. Fazer-te cócegas. Dar a primeira sopa. Estar ao teu lado, amparando os teus primeiros passos. Ensinar-te as cores, os cheiros, os perigos, as brincadeiras, ver como será que vai ser para ti a areia da praia nos pés, as ondinhas a desfazerem-se aos teus pés, como vais gostar dos animais e os sons que eles fazem, ir buscar-te ao infantário, ver-te provar novos sabores, conhecer-te as manias e os medos. Como vais ser ao acordar, a resmungar ou feliz da vida ao primeiro plim das pestanas.

Quando chegares, tens muita gente à espera. Tens três rapazes e duas raparigas, e já nasces irmã deles todos, já viste a tua sorte?! Tens o pai e a mãe, que te imaginaram já tanto, que riem sempre, nesse nervoso ansioso: como será a tua carinha. Qual será a cor dos teus olhos. Terás o narigão do pai ou o nariz elegante da mãe. Vais ser vaidosa e pirosa e ter um sorriso e uma gargalhada irresistíveis. Tenho a certeza que vais ser muito feliz.

Tens um avô e duas avós. Tens duas tias e um tio. Tens primos e primas. Tens um quarto que ainda vamos construir, numa casa que ainda não o é, mas que o pai e a mãe estão a compor. Sim, estamos grávidos de um bebé e uma casa nova. E são presentes que vamos desembrulhar na mesma altura, curiosamente. O pai e a mãe são assim: movidos por sentimento, por impulso irreprimível, por paixão. 

Não temos carro onde caibam todos, mas vais ter um grande carrinho.  Há uma fadista com o teu nome, que lançou agora um disco maravilhoso, a cantar cantigas de um senhor que se chamava Tom. 

 

"São as águas de março

Fechando o verão

É a promessa de vida do teu coração"

 

Anunciaste-te com o verão, as águas de Março hão-de trazer-te, Carminho, meu amor.

Estamos todos à tua espera.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Final Feliz

por PR, em 25.10.16

A vertigem, que parece tomar conta de tudo nestes tempos, de criticar ou criar as mais diversas teorias, não pode apagar, para mim, a alegria e o alivio desta criança ter aparecido, sã e salva. 

GNr encontra criança.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)